Follow by Email

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Personagens de histórias no processo de alfabetização e letramento

“A importância dos personagens infantis no processo da aquisição da leitura e da escrita”

“ Que coisa é o livro? Que contém na sua frágil arquitetura aparente?
São palavras, apenas, ou é a nua exposição de uma alma confidente?
De que lenho brotou? Que nobre instinto da prensa fez surgir esta obra de arte que vive junto a nós, sente o que sinto e vai clareando o mundo a toda parte? “
(Carlos Drummond de Andrade)

Ensinar a ler e escrever para muitos professores tem sido verdadeiro desafio em meio a tanta indisciplina e desinteresse dos alunos em aprender e assistir suas aulas, essa tem sido a grande “queixa” dos professores que tenho assistido nesses vinte anos de assessoria pedagógica por escolas do Brasil, o que me remete a minha prática como alfabetizadora e o meu “desepero” em alfabetizar minha turma de alunos com tantas diferenças de faixa etária e de conhecimentos onde uns liam e não escreviam, outros escreviam e não liam e outros tantos não liam, nem escreviam e eu com pouca teoria e uma prática de estágio em meio a um desafio tão importante que era o de ensinar a LER e ESCREVER. Gostaria de fazer voltar o tempo e poder aliar àquela prática o conhecimento que trago hoje comigo em relação ao conceito de LER.
Hoje trabalho com o último ano do ensino fundamental, e descobri que meus alunos no 9º ano, embora decodifiquem os signos e chegam a seus significados me dando a impressão de que são leitores, na verdade não conseguem explicar com suas palavras o que acabaram de “ler”, com raríssimas exceções, não fazem uma relação do texto trabalhado com outros conhecimentos ou desses com suas realidades.
Meu trabalho em sala de aula tem sido o de despertar meus alunos, jovens em formação, a entender o significado de leitura, que expresso da seguinte forma:
- Ler é ir além das palavras do autor, é criar pontes entre o real e o fantástico,
- Ler é acordar palavras: descobrir e descortinar o texto,é se transportar para o universo abordado pelo autor de forma que consiga ver, ouvir, sentir, se emocionar, se revoltar, se apaixonar pelos personagens e seus contextos;
- Ler é descobrir os sons, os movimentos, as cores, os ritmos e outras sensações através da leitura.

A força e o poder dos personagens no imaginário infantil
Recordo da minha alfabetização e dos personagens que encantaram e me fizeram sonhar como os personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo de Monteiro Lobato. Dentre outros personagens de histórias presentes na minha infância.


Os personagens de Monteiro Lobato continuam atuais como tantos que surgiram depois como os adoráveis personagens de Maurício de Souza, presenças marcantes em livros didáticos e em muitas salas de aula, importante frisar como suas imagens amadureceram e se sofisticaram no decorrer dos anos e em seus 51 anos de vida (criados em 1959) agora a turma adolescente vivendo e discutindo problemas pertinentes as suas faixas etárias :



Lançando mão das HQ e dos vários personagens tenho conseguido formar leitores apaixonados, críticos e criativos:

A contribuição de Walt Disney é indiscutível, a magia através da televisão e do cinema com suas formas, cores, vozes e efeitos visuais dando vida aos personagens do nosso imaginário, disponibilizando novas ferramentas para facilitar e inovar nossa prática pedagógica, aliando o livro e o cinema no espaço da sala de aula.


Defendendo a Literatura Infantil como agente formador de uma nova mentalidade, o professor precisa estar atualizado e reorganizar seu próprio conhecimento. Segundo Abramovich (1991 p. 17): “È uma possibilidade de descobrir o mundo imenso dos conflitos, dos impasses, das soluções que todos vivemos e atravessamos”.Nesse sentido, ouvir ou ler histórias inicia a criança no processo de construção da linguagem, idéias, valores e sentimentos aos quais ajudarão a criança na sua formação cultural como pessoa e cidadão.
“Se a literatura infantil se destina a crianças e se acredita na qualidade dos desenhos como elemento a mais para reforçar a história e a atração que o livro pode exercer sobre os pequenos leitores fica patente a importância da ilustração nas obras a eles dirigidas”.( Zilberman e Lajolo, 2002)

Temos a nossa disposição uma gama de material didático, produzido no mercado editorial, para fomentar o gosto pela leitura e despertar o interesse pela matemática, língua portuguesa, história, geografia e outras áreas do conhecimento ilustrados por personagens da Disney, dos clássicos da literatura como Pinóquio, Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, a Turma da Mônica está presente nos livros de alfabetização, personagens como o crítico Calvin e Haroldo, os Super heróis que um dia nos fizeram sonhar hoje são nossos parceiros na arte de “ENSINAR” a ler e escrever.